15.NOV.2018 - 22:04
Receba nosso conteúdo exclusivo! CADASTRE-SE AGORA

Fique por dentro

#Turismo

06 destinos baratos na América do Sul para visitar em 2018

De praias a desertos, de cidades históricas a ilhas e sítios arqueológicos, conheça 12 destinos baratos na América do Sul para visitar em 2018!


Eis uma alegria na vida do viajante latino: não é preciso mudar de continente para fazer viagens absolutamente incríveis. E melhor ainda: geralmente gasta-se bem menos do que indo para a Europa, Estados Unidos, Oceania etc. Conhecer destinos baratos na América do Sul é sim possível, e isso inclui alguns dos lugares mais lindos do mundo.

Se em 2018 seu desejo é explorar o seu próprio continente, anime-se: não faltam opções de destinos baratos na América do Sul para visitar. Praias, desertos, cidades históricas, ilhas, sítios arqueológicos, parques naturais… a lista pode ser infinita. Mas a gente separou 06 destinos na América do Sul daqueles para incluir na sua lista de sonhos de viagem. Confira só:

 

1. Santuário de Las Lajas, Colômbia

No sul da Colômbia, quase fronteira com o Equador, um local de culto e peregrinação também transformou-se em um dos principais atrativos turísticos do continente. Dá para entender por quê: o Santuário de Las Lajas é de uma beleza extrema, seja pela sua construção seja pelo cenário natural onde está inserido. Fica localizado no cânion do rio Guaitara, na aldeia de Las Lajas, município de Ipiales. A linda basílica de pedra fica a cerca de 50 metros de altura, rodeada por cachoeiras, em estilo gótico e de uma riqueza de detalhes impressionante, que incluem arcos, mosaicos, torres e paredes de pedra natural – em uma delas está a imagem da Virgem de Nossa Senhora do Rosário, também feita de pedra. Uma dica: no dia 16 de setembro, milhares de devotos à Virgem deslocam-se ao santuário para rezar – então, aconselha-se evitar a visita neste dia, caso não seja este o propósito.

2. Urubamba, Peru

Outro ponto obrigatório em uma expedição pela América do Sul é o Vale Sagrado dos Incas, nos Andes peruanos. Fica perto de Cuzco e Machu Picchu, e estes podem formar um único, extenso e belo roteiro de viagem pelo Peru.

O vale teve papel fundamental para os incas, por suas qualidades geográficas e climáticas, tendo sido um dos principais pontos de extração da riqueza de suas terras. É composto por importantes monumentos arqueológicos e povoados indígenas, e entrecortado por inúmeros rios que descem por pequenos vales, formando paisagens fenomenais.

O principal rio é o Urubamba, que dá nome também a maior das cidades do vale. Com várias opções de hotéis e restaurantes, a simpática cidade é ponto de parada dos aventureiros que vêm ou seguem em direção aos outros povoados do vale, como Pisaq, Ollantaytambo e Chinchero.

3. Pucón, Chile

No Chile, uma ótima opção afastada da capital Santiago (780km ao sul), é a simpática cidade de Pucón, na região da Araucanía. A cidade está cercada pelo lago e vulcão Villarrica, e ele próprio é uma grande atração local. Apesar de não estar extinto, passeios turísticos no vulcão são bastante comuns. No verão, agências de turismo oferecem serviços de guia e aluguel de equipamento para a prática do “andinismo” (como o alpinismo é conhecido nos países andinos) – é mesmo aconselhado ter um acompanhamento qualificado, já que há trechos bastante escorregadios na montanha. Há várias outras opções de esportes e atividades ligadas ao ecoturismo em Pucón, incluindo esqui aquático, trilhas e rafting. Sem falar no centro de esqui junto à encosta do vulcão, que opera entre julho e setembro, e possui ótima infraestrutura, com seis teleféricos, 20 pistas de esqui e snow board, um restaurante e área ara crianças.

4. Parque Tayrona, Colômbia

Imagine a paisagem: 12 mil hectares de vegetação intocada, centenas de espécies de animais (muitos em risco extinção), algumas das praias mais azuis do caribe colombiano, e a Serra Nevada de Santa Marta e suas gigantes cadeias montanhosas como pano de fundo.

Assim é a vista do Parque Nacional Natural Tayrona, considerado um dos lugares mais bonitos da Colômbia. Transformado em parque em 1968, o local era o lar do povo indígena Tairona até meados do século 15. Mesmo hoje pode-se ver seus sítios arqueológicos, como o Pueblito Chairama, considerado local sagrado para os indígenas da região e onde vários deles ainda vivem em cabanas. São várias opções de trilhas por dentro do parque, sempre com paisagens deslumbrantes, seja a pé ou a cavalo (que é possível alugar na entrada do parque). Sem contar as lindas praias – como Cabo de San Juan, La Piscina e a Playa Brava (esta reservada para nudistas).

5. Isla del Sol, Bolívia

É provável que todo mundo que sonha em desbravar a América do Sul adoraria fazer a Rota Bolívia-Peru-Chile. E claro que o Lago Titicaca não poderia faltar na lista de lugares para visitar. Sendo o maior lago navegável do mundo, com nada menos que 41 ilhas, qual delas escolher?

Não tem como errar com a Isla del Sol. Com acesso pela cidade de Copacabana, e com área de 14,3 km², trata-se da maior e uma das mais belas ilha do lago. É uma ilha considerada sagrada para os incas, pois lá se encontravam os santuários das “virgens do sol”, dedicado ao Deus Sol. Hoje, a ilha ainda é povoada por indígenas de origem quechua e aymara, que dedicam-se ao artesanato e ao pastoreio de ovelhas. Existem muitos sítios arqueológicos em volta da ilha, como o museu Challapampa, onde se encontram peças resgatadas ao redor da ilha. Toda a paisagem é de tirar o fôlego, com trilhas que atravessam a ilha de norte a sul, águas de azul intenso, montanhas verdes e, claro, a Cordilheira dos Andes com seus picos nevados.

6. Los Roques, Venezuela

Maior parque marinho da América Latina, o Parque Nacional Arquipélago de Los Roques tem algumas das paisagens mais paradisíacas do continente. O conjunto de 42 ilhas tem uma área total de 22 mil hectares e pode-se passar dias e dias explorando cada cantinho, seja relaxando e apreciando a paisagem, seja andando de caiaque, veleiro, bote ou catamarã, ou praticando windsurf, pesca, mergulho etc. Afinal, como resistir a uma paisagem que combina barreiras de corais protegendo o arquipélago das correntes fortes, praias desertas de areia branca e águas quentes e cristalinas, e uma variedade inacreditável de espécies marinhas (consta que 98% das espécies coralinas existentes no mundo estão lá)? As ilhas são chamadas de “cayos”. Na principal delas, Gran Roque, ficam as pousadas, um pequeno aeroporto, o porto e as opções de comércio. Duas festas movimentam a localidade: uma em setembro (a Virgem do Vale) e outra em novembro (Festival da Lagosta).

 

Fonte: momondo.com.br

< Voltar