CINDERELA ESTREIA FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL ERA UMA VEZ...ERAM DUAS, ERAM TRÊS


Cinema & Teatro · 14 de julho de 2021

O Festival de teatro infantil "Era uma vez...Eram duas, eram três", que este ano ganha novo formato em versão online, realizado pela Montenegro, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e apoio da Associação dos Amigos do HC estreia nesta quinta, dia 15 de julho, com o espetáculo Cinderela.  A partir desta data, quem adquirir o ingresso poderá assistir ao vídeo da peça em alta qualidade com duração de 40 minutos de onde quiser, independente de horário, e ficará disponível até fevereiro de 2022. Os espetáculos produzidos com exclusividade para o Festival estão sendo gravados no palco do Teatro Bom Jesus, cumprindo todos os protocolos de segurança e prevenção a disseminação da Covid. As gravações contam com uma plateia diferenciada, formada por bonecos dos personagens pintados por pacientes do programa DEDICA, da Associação dos Amigos do HC e terão suas transmissões na plataforma Hotmart (www.hotmart.com). Na sequência acontecem as seguintes exibições: João e Maria (19.08), Chapeuzinho Vermelho (30.09) João e o Pé de Feijão (28.10).



As produções trazem leituras contemporâneas dos clássicos com linguagens que refletem temas cotidianos de pais e filhos. Um festival de múltiplas ideias, incontáveis saberes, diversas expressões de linguagens e qualificação, com atrações que ao mesmo tempo aproximam o tradicional teatro para a infância e juventude, da produção teatral contemporânea. "Cada peça traz uma possibilidade diferente, de música e visual, construção da dramaturgia.  Minha direção caminha para conectar o mundo da criança com o do adulto. Essa questão do teatro infantil ser para as crianças e para os pais também é uma das principais questões que me preocupo quando escrevo. Quem leva a criança para o teatro? O diálogo das cenas não é unilateral, somente para os pequenos, o foco também está nos pais", conta Tiago Luz, diretor cênico do festival. Cinderela é quem abre a programação dos espetáculos. Essa adaptação, traz à cena uma inusitada abordagem sobre essa tão revisitada história. "Nossa Cinderela é um convite para que adultos e crianças, juntos, possam rir, se emocionar e construir caminhos possíveis na direção de um mundo mais justo, harmonioso e igualitário", conta o diretor.

O conto, em suas primeiras versões, traz uma adolescente órfã abusada por sua madrasta e filhas. E a resolução dos seus problemas acontece de forma mágica. Um vestido para que Cinderela possa ir ao baile e conquistar o príncipe. Sem contar as cenas de terror. A madrasta mutila os pés de suas filhas para que caibam no sapatinho de cristal. Pombas delatoras que furam os olhos das irmãs invejosas. Todo esse contexto foi amenizado nas reproduções do século 20. Cientes disso, o festival traz uma Cinderela possível, que discute questões contemporâneas. Mas nesta abordagem passa longe do universo Disney, do estereótipo da princesa. Ela perde seu pai e a mãe se casa novamente, com um homem autoritário e dominador, com quem tem mais dois filhos. A mãe de Cinderela fica doente e entra em um estado catatônico. Cinderela cresce solitária, cuidando da mãe em uma cadeira de rodas e fazendo todo o serviço da casa. A chegada da "Fada Madrinha", uma antiga amiga de sua mãe, dá coragem e exemplo para que a menina supere seus problemas. Ao optar por esse caminho, é feita uma aproximação do conto a realidade de muitas mulheres, homens e crianças que, sejam opressores ou oprimidos, podem reconhecer sua condição e encontrar possibilidades para transformá-la. O recurso de gênero artístico do festival é a comédia, o deboche, a paródia. Nada mais adequado para tratar de assuntos tão distópicos, delicados e urgentes.

 

A contrapartida social desse projeto será realizada em parceria com a Associação dos Amigos do HC, que ficará com a renda integral da bilheteria, além de apresentações exclusivas aos pacientes do DEDICA – Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente, programa de enfretamento à violência infantil mantido pela associação, oficinas criativas e de contação de histórias. Ainda como parte do projeto, a construção de um novo espaço de leitura nas instalações do DEDICA está prevista para ser entregue no segundo semestre. Escolas públicas vão receber também apresentações dos espetáculos, que devem atingir um público total de 5.000 mil pessoas, entre alunos e professores.

 

Os ingressos para o espetáculo Cinderela estão à venda através da plataforma Hotmart (http://campanha.amigosdohc.org.br/festivaleraumavez). Podem ser adquiridos em duas modalidades: CINDERELA (ingresso digital dá acesso para assistir ao vídeo da peça + 1 livreto digital de atividades "Brincando com a Cinderela" para download ou impressão) – R$25,00 / CINDERELA – COMBO (ingresso digital + 1 mini almofada da Cinderela, que será enviada por correio para o endereço informado no cadastro do comprador com frete já incluso   + 1 livreto digital de atividades "Brincando com a Cinderela" para download ou impressão) – R$60,00.

Com uma equipe de produção formada por criativos, cenógrafos, figurinistas, jornalistas, designers, fotógrafos, cinegrafistas, técnicos de som e luz, músicos, produtores, advogados, contadores, intérpretes, entre outros, o festival movimenta a cena cultural desse início de ano.  Com essa terceira edição, o festival deverá ultrapassar a marca de 10 mil espectadores"Gerar valor aos produtos culturais é a fórmula de sustentabilidade de um segmento tão sensível as oscilações da política e economia. Ao nos colocarmos como parte da máquina, gerando empregos, renda, impactos sociais e de imagem, garantimos a continuidade das produções artísticas", afirma Carolina Montenegro, diretora da empresa, que já aprovou e executou mais de 80 projetos.

 

A edição 2021 do "Era uma vez...Eram duas, eram três conta com os patrocínios da Credipar, Fertipar Fertilizantes, Cattalini, Jaguáfrangos, Tecnolimp, RDP Petróleo, Servopa, Engepeças, Trützschler, Elejor, Sanepar, Banco Digimais, PASA (Paraná Operações Portuárias), Ravato, Greca Asfaltos, Impress The Decor Company, Nórdica, Quasar, Ítalo Supermercados, Magnetron Componentes Elétricos. Apoio: Teatro Bom Jesus, Teatro Guaíra, Tutu Ateliê de Sapatilhas, Kromossomos Estranhos, Espaço Fantástico das Artes, Padaria América, Atelie Miniart. Instituição Beneficiada: Associação dos Amigos do HC

 

ERA UMA VEZ...ERAM DUAS, ERAM TRÊS conta com o apoio financeiro de mais de 70 empresas patrocinadoras, sendo que 70% dessas mantém seus investimentos em todas as edições do projeto. As notícias do festival computam mais de 1 bilhão de reais em mídia espontânea, somados ao plano de mídia com inserções em rádio, mobiliário urbano, impressos e internet.
MOSTRA CAMINHOS DO ENCANTAMENTO
Quem passar em frente ao Teatro Guaíra (R: Conselheiro Laurindo, s/n) em passeios a pé ou de carro vai se surpreender. O motivo? A fachada do Guairão está com a exposição "Caminhos do Encantamento", que marca o lançamento oficial do Festival de teatro infantil. A mostra ficará em cartaz até o dia 30 de julho. Figurinos confeccionados exclusivamente para a mostra, trazem releituras dos personagens da Cinderela, Chapeuzinho Vermelho, Bruxa do João e Maria, Madrastas, Fadas e o Pé de Feijão em estruturas recicladas. Sustentabilidade, reutilização e ressignificação de materiais estão presentes no trabalho do figurinista e artista visual Gustavo Krelling, que assina a criação. "Em minha proposta flerto sempre com as artes visuais, principalmente a performance.  Essas questões, por sua vez, propõem ao espectador reflexões sobre o que está vendo em cena - materiais inusitados, texturas e novas possibilidades. Acredito que dessa maneira ampliamos a discussão do espetáculo em seu aspecto visual", afirma o artista.

Volume, cores, formas e texturas também podem ser discutidos no traje para a exposição. A riqueza está na diversidade de estilos, com resultados inusitados, criativos e de cunho autoral. Peças feitas com material que pode ganhar outra chance em expressão e estilo, evitando o descarte prematuro.  Para essa exposição, o figurino da Cinderela por exemplo, que tem como objeto icônico o sapato, será produzido inteiro com restos de couro de sapatos que iriam para o lixo. Os retalhos de restos são costurados em um vestido de baile. João e Maria, João Pé de Feijão, são outros personagens que receberão figurinos nessa mesma proposta.
Sobre a Montenegro
Atuando há 11 anos, a Montenegro sempre apostou na cultura, o maior valor do Brasil.  A empresa busca, com a realização de seus espetáculos, debater e desenvolver o teatro para a infância e juventude no Brasil, movimentando e valorizando o cenário artístico com as suas contribuições.

 

Além de colaborar com a formação artístico-pedagógica das crianças e adolescentes, a empresa oferece, através de espetáculos, exposições, oficinas, contação de histórias, encontros temáticos e rodas de conversa, toda a bagagem necessária para o fortalecimento da cultura no país.

 

Dias das exibições pela plataforma hotmart (www.hotmart.com):

Cinderela – a partir de 15 de julho
João e Maria – a partir de 19 de agosto
Chapeuzinho Vermelho – a partir de 30 de setembro
João e o Pé de Feijão – a partir de 28 de outubro

Serviço:
Ministério da Cidadania e Montenegro apresentam
"Era uma vez...Eram duas, eram três"
CINDERELA
Estreia: a partir de 15 de julho de 2021
Transmissão Online: www.hotmart.com
Duração vídeo da peça:  
40 minutos
Vendas: http://campanha.amigosdohc.org.br/festivaleraumavez CINDERELA (ingresso digital dá acesso para assistir ao vídeo da peça  + 1 livreto digital de atividades "Brincando com a Cinderela" para download ou impressão) – R$25,00 / CINDERELA – COMBO (ingresso digital + 1 mini almofada da Cinderela, que será enviada por correio para o endereço informado no cadastro do comprador com frete já incluso  + 1 livreto digital de atividades e pintura "Brincando com a Cinderela" para download ou impressão) – R$60,00.
Classificação etária: Livre. De 04 a 08 anos para o público infantil, e 08 a 12 anos para o público infanto-juvenil.
Informaçõeswww.montenegroproducoes.com
Realização: Montenegro