Curitiba apresenta plano municipal de vacinação


Dicas & Variedades · 15 de janeiro de 2021

Anúncio foi feito após uma reunião entre o Ministério da Saúde e prefeitos para tratar do calendário nacional de vacinação. Profissionais da saúde e os idosos serão os primeiros e controle será por aplicativo.

"Em Curitiba, vamos vacinar primeiro os grupos prioritários. Os 70 mil profissionais de saúde, e todos os idosos de Curitiba, que são perto de 300 mil pessoas", destacou o prefeito.

Com 7.500 metros quadrados, o Centro de Exposições Positivo, no Parque Barigui, será o espaço oficial de Curitiba para imunização da população contra a covid-19. O local contará com 50 salas de vacinação, onde trabalharão por turno 100 profissionais da Secretaria Municipal da Saúde (SMS). O Centro de Vacinação e outros detalhes estão no Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19, apresentado nesta quinta-feira (14/1), pela SMS de Curitiba no Comitê Municipal de Respostas às Emergências em Saúde Pública (Comresp). A escolha de Curitiba por um centro de vacinação é por razões de segurança, e otimização das doses de vacinas. Além de ser um espaço que permite o distanciamento social adequado. O lugar também é estratégico para caso de vacinação por drive-thru, se necessário.

“Entre os primeiros vacinados estarão profissionais da linha de frente da covid-19, equipes de UTIs e no atendimento direto de pessoas contaminadas, portanto não seria prudente fazer uma vacinação desse público nas unidades de saúde, por exemplo. Além do mais, estamos lidando com uma vacina nova e não podemos nos dar o luxo de desperdícios”, disse a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

No Plano Municipal de Vacinação constam ainda dez Unidades de Saúde que poderão ser ativadas exclusivamente para imunizar a população quando mais vacinas forem enviadas.

Grupos prioritários

Curitiba seguirá as etapas de vacinação do plano nacional de imunização. Os primeiros a serem vacinados na cidade serão pessoas de maior vulnerabilidade como profissionais de saúde da linha de frente da covid-19 e idosos e trabalhadores de instituições de Longa Permanência (asilos) e a população indígena. Nessa etapa estão previstos 18.150 pessoas a serem vacinadas. Ainda dentro da primeira fase serão atendidos os demais profissionais de saúde, seguindo a ordem do Plano Municipal.

“Esses três primeiros grupos estão em alinhamento com o Plano Nacional de Vacinação, pois precisamos dos nossos profissionais imunizados para que continuem na linha de frente, atendendo a população”, explica a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

Vacina por agendamento

Para evitar aglomerações e facilitar a identificação, a vacina para a população será agendada pelo Aplicativo Saúde Já, de acordo com o cronograma. Quem tem cadastro no Saúde já receberá a informação do agendamento pelo aplicativo. Os demais serão informados por outros canais. Os três primeiros grupos (profissionais de saúde, idosos em instituições de longa permanência e indígenas) não precisam do agendamento pelo aplicativo. A Secretaria começou a identificação dos profissionais que serão vacinados nessa primeira fase.

Monitoramento

Uma rede de suporte e monitoramento pós-vacina foi estruturado pela Saúde. A farmacovigilância, como é chamada, é comum sempre que novos medicamentos ou imunizantes são aplicados. As pessoas vacinadas também receberão pelo aplicativo Saúde Já um questionário para avaliar o pós-vacinação.

Cuidados pós-vacina

Segundo Rafael Greca, mesmo com a vacinação, os cuidados de prevenção à Covid-19 deverão ser mantidos pela população.

"As pessoas têm que entender que vai ser preciso manter os cuidados, usar máscara e passar álcool em gel na mão. A imunização demora pelo menos três semanas, três semanas e meia depois da vacina. É o tempo que leva. Não adianta se vacinar e sair por aí", afirmou.